Menu

Blog Fit Studio

Ficar sentado por longos períodos faz tanto mal assim a saúde? A resposta é um veemente SIM.
Toda a comodidade criada pela vida moderna trouxe como consequência uma diminuição significativa da nossa longevidade. Um novo estudo publicado pelo American Journal of Preventive Medicine, chegou a conclusão de que mulheres que sentam por longos períodos de tempo têm uma maior probabilidade de morrer subitamente. Quanto maior o número de horas sentada, seja dirigindo, trabalhando, lendo um livro, ou assistindo TV, maiores são as chances de sofrer morte súbita, que pode ser causada por vários fatores, desde doença cardíaca a distúrbios metabólicos.
E agora vem a parte mais importante do estudo, e que poucas pessoas sabem, mesmo aquelas mulheres que se exercitam regularmente, mas que passam grande parte do seu dia sentadas, sofrem o mesmo risco.

De acordo com Dr. Joann Manson, um dos autores do estudo, e chefe do departamento de medicina preventiva do Hospital Feminino  de Brigham, afiliado a Harvard, “mesmo que voce esteja fazendo exercício vigoroso regularmente, voce ainda terá um alto risco de mortalidade se passar muitas horas do dia sentado”.

Outro estudo, publicado pelo European Heart Journal, examinou o tempo total que as pessoas ficavam sentadas e a quantidade de intervalos nesse período, juntamente a variáveis e indicadores de riscos de doenças cardíacas, doenças metabólicas, bem como processos inflamatórios. O estudo sugere que caso a pessoa faça intervalos e mude de posição, mesmo que seja por apenas um minuto, ela poderá se beneficiar.

Genevieve Healy, médico e pesquisador australiano da Universidade de Queensland, descobriu que pessoas ativas que faziam uma quantidade moderada a alta de exercícios mas que passavam muito tempo sentadas, possuíam os piores indicadores de função metabólica e cardíaca, com maiores circunferências na medida da cintura, baixos níveis de HDL, e altíssimos níveis de proteína creatina C (importante fator que aponta inflamação), assim como altos valores de triglicerídeos.

Mas ao mesmo tempo, o mesmo estudo, aprontou que mesmo que essas pessoas passem longos períodos sentadas, mas se tirassem intervalos constantes durante esse período, apresentavam uma menor circunferência na medida de cintura e menores níveis de creatina C.

Os estudos evidenciam que mesmo pequenas mudanças na posição já fazem uma grande diferença, como atender ao telefone em pé, andar para ir ao escritório ao lado ao invés de telefonar ou enviar email, colocar a lixeira e impressoras longe da mesa de trabalho, fazendo com que a pessoa se levante para jogar o lixo fora ou pegar a folha da impressora.

Esses estudos, são de grande ajuda no que se refere a criar condições de trabalho que visam prevenir as consequências trazidas por longos períodos sentado.

Uma dica, que parece até piada, mas que sempre dou aos meus clientes no Studio, é pedir para eles colocarem o timer ou o despertador do celular para ser acionado a cada 40 minutos ou no máximo de hora em hora, e isso faz uma grande diferença. Principalmente do ponto de vista postural, já que é essa a primeira mudança que podemos ver em pessoas que ficam sentadas por longos períodos de tempo.

Um artigo do Washington Post de janeiro desse ano, evidencia todos os danos causados pela postura sentada. E claro, que as dores musculares são inevitáveis. Basta pensarmos, quando estamos em pé, a musculatura abdominal, assoalho pélvico e paravertebrais nos ajudam a manter essa postura de forma uniforme, mas ao sentar, toda essa musculatura se relaxa, fica, digamos, “largada” o dia inteiro, como consequência, teremos distúrbios posturais sérios, acompanhados de muita dor e incômodo. Os músculos dos membros inferiores, especialmente flexores do quadril e isquiotibiais estão em posição encurtada, perdem sua funcionalidade, e os estudos mais recentes comprovam que a perda da mobilidade do quadril é um dos principais motivos de queda em idosos.

Enfim, do ponto de vista muscular essa inatividade gera uma cadeia de eventos que irão levar a um quadro crônico de dor não só na coluna, mas em vários pontos compensatórios, como quadril, cervical, ombros, etc.

Apenas algumas das várias posições que adotamos ao ficar sentados por muito tempo. E se não bastasse ter que aprender a sentar da forma correta, temos também, e principalmente, que aprendermos a dar intervalos, idealmente sairmos dessa posição de 40 a 40 minutos.

Apenas algumas das várias posições que adotamos ao ficar sentados por muito tempo. E se não bastasse ter que aprender a sentar da forma correta, temos também, e principalmente, que aprendermos a dar intervalos, idealmente sairmos dessa posição de 40 a 40 minutos.

Então a ordem do dia é movimentar-se! Como profissional da área de saúde, me sinto privilegiada por trabalhar de forma ativa o dia inteiro, literalmente eu nunca estou parada. Mas nem todo mundo tem esse privilégio, a maioria das profissões exigem longos períodos do dia na posição sentada, se esse for o seu caso reeduque-se, levante-se periódicamente, cheque em pé suas redes sociais no celular, ou mande um sms caminhando de uma sala para outra, faça pequenas mobilizações articulares durante alguns segundos várias vezes ao dia, como movimentos circulares de pés, punhos, cabeça, coisas simples, não tem pra quê complicar, o importante é se movimentar.

Glaucia Adriana é fisioterapeuta, sócia e proprietária do Fit Studio Brasília.

 

Comentários