Menu

Blog Fit Studio

Kevin Bowen está na indústria de Pilates, bem antes, mas muito antes do Método ser considerado uma “indústria”. Em seu primeiro post para sua nova série nesse blog, ele mostra a realidade sobre a história do treinamento de professores, onde isso vai chegar,  e o que você pode fazer para manter o Método vivo.

Em um ponto da história do método Pilates, o treinamento para se tornar um professor de Pilates era algo que só alguns tinham acesso, que somente os esclarecidos, pessoas que tiveram uma revelação ao ponto de mudar suas vidas, empreenderam e perseguiram com grande paixão e dedicação. Se você tivesse a sorte de estar na mesma localização geográfica de um estúdio de Pilates, onde o proprietário escolheu ensinar e compartilhar o que  havia aprendido de um pequeno grupo de pessoas, os quais realmente trabalharam diretamente com Joe e Clara, então você iria ter a chance de aprender com eles . Caso contrário, você tinha que viajar e ficar em algum lugar longe da sua casa, durante um considerável período de tempo,  a fim  de concretizar seu sonho de aprender a ensinar o método Pilates.

Durante aqueles tempos amenos e mais lentos, apenas alguns dos mais fiéis alunos de Joe, começaram a organizar as informações existentes em um formato escrito, alguns utilizaram fotos, outros não. Joe nunca havia feito isso, exceto, é claro, em seus livros, Return to Life e Your Health. E claro, havia aquelas famosas fotos, imagens em preto e branco dos exercícios que Joe tinha na parede de seu estúdio. Cópias dessas fotos foram feitas e dadas de presente por Joe e Clara a um pequeno grupo de seus devotos  alunos, que trabalharam com ele no estúdio original na Eighth Avenue com a rua 55th, na cidade de Nova York. Uma das coisas que descobri sobre essas imagens, foi que a escrita nelas não condizia com a caligrafia de Joe, era a caligrafia de outra pessoa. Será que aqueles eram realmente os nomes dos exercícios? Quem realmente escreveu os nomes nas fotos? Carola, Clara, Hannah, Romana, Ron, Kathy, Lolita, Bob ou …?

Durante a evolução e crescimento do método Pilates, em algum lugar no início dos anos 80, Romana [Kryzanowska] começou a elaborar uma espécie de manual a fim de documentar todos os exercícios. Mais tarde, em 1991, Joan Breibart, Eve Gentry e Michele Larsson formaram o Institute for the Pilates Method. Cada uma assumiu responsabilidades diferentes. Eve era responsável  por reunir todos os professores de primeira geração (os Elders). Joan, sendo uma brilhante mulher de negócios, decidiu colocar Pilates no mapa nos EUA, e Michele começou a juntar as enciclopédias e arquivos de todos os exercícios nos diferentes equipamentos.

Em 1993, Michele Larsson foi enviada para apresentar um Workshop de Pilates na conferência IDEA; e esse, não foi muito bem recebido. Naquela época, o setor de fitness não estava “recebendo” o que o método Pilates tinha para oferecer. Muitos no setor de fitness não tinham idéia do que era Pilates, e nem ao menos apreciavam o fato de que os instrutores de Pilates precisassem treinar por um longo período de tempo, a fim de tornarem-se proficientes como profissionais de nível inicial – isso sem mencionar o compromisso de incorporar “Pilates no seu corpo”, como uma parte crucial do treinamento a fim de completar e passar em um exame final escrito e prático.

Tempo de treinamento prolongado, dedicação aos princípios e suas aplicações, um processo de exame completo e exigente: essas idéias eram desconhecidas para setor de fitness. Afinal de contas, você podia obter uma certificação para dar aulas de aeróbica durante um final de semana, e uma vez que você tinha essa certificação você poderia adicionar outras especialidades, como “kick boxing”, “step”, “baixo impacto”, “aeróbica sem impacto” – essas “certificações” eram obtidas simplesmente fazendo um curso ou workshop de um ou dois dias, e pagando as suas devidas taxas. Por que alguém iria gastar mais tempo para aprimorar ou aprender novas habilidades, quando um belo pedaço de papel já dizia que essa pessoa estava qualificada e apta?

Durante este período crucial, algumas pessoas mais antenadas na profissão de Pilates, descobriram que, se talvez você fizesse o método Pilates se tornar mais digerível e até mesmo dividindo o curso em segmentos menores e mais acessíveis, você poderia assim, atrair o interesse da indústria de fitness, e fazer com que eles “comprassem” a idéia do método Pilates. Os níveis de treinamento no método Pilates foram criados e muitos deles ainda existem até hoje. Treinamentos como Mat 1, Mat 2, Mat 3 e Mat com acessórios, Reformer I, II, III, e a lista segue, dependendo da empresa e dos indivíduos que criavam esses cursos e workshops.

Cada workshop que você frequentava, havia sido criado para encorajá-lo a propagar sua proeza e nível de conhecimento, e então você era instigado a passar para o próximo nível, fazer mais uma etapa de curso. As possibilidades eram infinitas, e o potencial de renda gerada nesses cursos era enorme. Então, é claro, a fim de manter esse treinamento, o método de Pilates tomou emprestado algo da comunidade profissional de fitness e certificação: os créditos de educação continuada – CECs – foi criado um fluxo contínuo de compra, com intuito de aprimorar a proficiência e o nível de conhecimento dos alunos.

Foi durante esse tempo onde tudo acontecia de forma acelerada, que a PMA (Pilates Method Alliance) foi formada e começou sua missão. Eu fui à Conferência de Fitness IDEA em 2001 na cidade de San Francisco e representei a PMA pela primeira vez numa arena de fitness maior. Peguei informações e trouxe de volta os dados para o Conselho, uma vez que retornei de viagem. O Conselho da PMA e eu lidamos com questões como, qual seria a forma de elucidar qual seria a grande missão dessa organização, e o que sobre a questão dos diferentes níveis de treinamento de Pilates, pois pensávamos  que deveríamos ter uma abordagem abrangente para a formação compreensiva de professores. Após minhas conversas com várias empresas da Pilates, eu descobri que a formação de professores de Pilates havia se tornado um “produto”  de venda aos olhos desses negócios. Transmitir esse fato ao Conselho foi difícil e, claro, terrível para muitos envolvidos na organização. O navio de Pilates tinha partido do porto, e nós (da PMA) tínhamos que correr atrás de muita coisa para acompanhar.

Na realidade, foi um momento excitante para o método Pilates e seu crescimento. A crista da onda do Pilates estava crescendo, e o potencial parecia infinito. O treinamento de professores no método havia se tornado um produto, um código de barras, e todos queriam ter um pedaço desse produto. Sabemos que Joe desejava que o mundo inteiro conhecesse e praticasse seu trabalho, mas muitos lamentavam que essa não fosse a maneira de conseguir alcançar esse desejo.

No entanto, na minha opinião, em algum lugar ao longo do caminho, algo muito importante foi deixado para trás. o Método Pilates perdeu seu coração, sua alma, seu centro. À medida que o ritmo de treinamento e expansão crescia cada vez mais rápido, era necessário adicionar vários locais para oferecer este produto em alta. A indústria precisava de professores de Pilates, e eles se precisava deles agora. Assim, atalhos foram criados para preencher a necessidade de ter novos educadores para ensinar novos professores. Muitos desses novos educadores, embora bem intencionados, não eram experientes ou treinados de forma adequeada. Eles estavam ocupados com os treinamentos que davam, ocupados com seus estúdios, ocupados com suas vidas, e muitos na verdade, ainda estavam aprendendo as nuances, os conceitos, os conjuntos de habilidades e conhecimentos profissionais necessários para ser um bom professor de Pilates e educador de movimento para profissionais.

Como  de vez em quando a vida nos lembra, o que sobe deve cair, e geralmente não é de forma oportuna. A crista da onda do método Pilates passou, o negócio  foi ajustado, e a formação de professores tornou-se menos popular, Pilates tornou-se menos popular. Havia aqueles na indústria de fitness em geral, que assistiram tudo isso acontecer com grande interesse, esperando o tempo em que esse dia chegasse, e eles então começaram a espalhar que Pilates era uma moda, como eles haviam suspeitado o tempo todo. E o método deixou de fazer parte da lista Americana, onde apareceu por anos entre as 20  principais tendências de fitness.

Nós, profissionais da Pilates, ficamos bravos. Como alguém poderia dizer isso sobre o método Pilates? Como algo que existia por mais de 90 anos, ser simplesmente uma moda ou fogo de palha?

Esse alerta tornou-se rapidamente uma razão para a reflexão, introspecção e a busca de essência. Aconteram discussões, argumentos, posts em blogs, grupos de bate-papo e interações nas redes sociais. O que podemos fazer para mudar essa percepção? Devemos refletir sobre o que esta notícia tinha feito para nós, e apresentar uma frente unida no esforço contínuo de compartilhar o método Pilates que Joe e Clara começaram há mais de 90 anos?

Dentro da nossa comunidade, existem opiniões e pensamentos variados sobre nossa profissão, alguns honestos, outros pouco claros e sem foco, alguns fora de sentido, alguns confusos sobre não só o que fazer, e sobre o que o método Pilates realmente é. Alguns de nós agimos de forma dura e desdenhosa com aqueles que não enxergam sob o mesmo ponto de vista a respeito do método Pilates, seja sobre a forma com a qual é ensinado, sobre quem está certo, e quem está errado. Mas todos nós não temos uma coisa em comum? Independentemente do nível de treinamento que temos – não estamos todos ensinando o Método Pilates?

Poderia ser este o motivo? Será que outros enxergaram esse outro lado de nossa comunidade? Será que toda esse insegurança traiçoeira de nossa comunidade, realmente afetou o Método Pilates e a percepção transmitida ao público sobre ele?  Será que nossa natureza humana e insegura nos colocou nesse lugar que estamos hoje?  Poderia toda a força do mercado e indústria de  fitness e saúde, juntamente com toda sua insanidade, prevalecerem a fim de nos levar a um ponto, onde fomos engolidos pelo nosso próprio ego, insegurança e mentiras?

Seja qual for o motivo, todos estamos hoje em uma nova posição. Não temos escolha senão ser, nada mais é o mesmo – não em nosso País ou em nosso mundo, em todos os aspectos. Por que não perceber que no nosso mundo de Pilates você não precisa brigar para chegar o topo? Todos nós já estamos aqui. Por quê? Porque ensinamos, praticamos e nos dedicamos ao método Pilates. Vamos realmente apoiar a nossa comunidade e a nós mesmos. Vamos principalmente apoiar aqueles que entre nós podem ainda não entender ou  estão verdadeiramente confusos sobre o presente que é o método Pilates. Apoiar aqueles nossos colegas que passaram por um treinamento talvez um pouco atordoados e confusos, imaginando que estavam atrás apenas de um pedaço de papel, acreditando que estavam fazendo o curso “oficial”, e que eles se tornariam professores, e poderiam assim, ensinar algo que nem sequer entendiam ainda, mas nunca admitiram por medo.  Todos nós já estivemos lá, e ninguém entre nós é melhor que o outro.

Pilates não é algo que se possa emoldurar e pendurar em uma parede. Pilates é algo que vem de dentro e irradia para fora. O Método perseverou e durou tantos anos, passando por tantas mudanças e ajustes, por aqueles que se ofereceram em compartilhar muitas de suas bençãos, alguns estão vivos, outros não estão mais entre nós. Ache um Mentor, seja um Mentor para alguém, compartilhe, enriqueça e dê suporte uns aos outros. Energize e dinamize sua prática e sua alma. Seu esforço valerá a pena.

Kevin Bowen é considerado uma autoridade e formador de opinião do setor de Pilates,  nos Estados Unidos e internacionalmente. Ele foi o co-fundador da Pilates Method Alliance (PMA), e possuía e operava o Studio Pilates Miami por mais de 13 anos. Ele também atuou como diretor de educação da Peak Pilates e como diretor de desenvolvimento do Legado de Lolita. Atualmente, Kevin é o dono e diretor do Core Dynamics Pilates, um programa de formação de professores de Pilates, e trabalha como consultor e desenvolvedor de programas para várias empresas nas indústrias de saúde, fitness e Pilates. Kevin foi destaque em inúmeros programas de televisão nos EUA, inclusive na CNN e no Discovery Channel. Ele também contribuiu para as revistas Pilates Style e Ocean Drive.

Versão original publicada na pilatesstyle.com. Traduzido e publicado com permissão autorizada.  Tradução: Glaucia Adriana, Fisioterapeuta, PMA CPT

Comentários